h

Conteúdo

$

Descubra como tratar a sua gengiva e osso de suporte

$

Compreender a doença das gengivas e o seu impacto nos dentes e no osso de suporte

$

Sinais e sintomas da doença das gengivas (doença periodontal)

$

Causas da Doença Periodontal

$

Importância da deteção e tratamento precoces

$

Tratamento da doença periodontal - opções não-cirúrgicas

$

Tratamento da doença periodontal - opções cirúrgicas

$

Limpezas dentárias profissionais e check-ups regulares

$

Dicas de cuidados "caseiros" para prevenir a doença periodontal

$

Conclusão - Assumir o controlo da sua saúde oral

Descubra como tratar a sua gengiva e osso de suporte

Os seus dentes podem estar com mobilidade, mas isso não é o fim! Se está a enfrentar problemas como dentes a abanar, sangramento na gengiva ou dor ao mastigar, pode ser um sinal de que os seus dentes não estão apenas em perigo, mas também a sua gengiva e osso de suporte. Neste artigo, iremos discutir sobre como tratar esses problemas e recuperar a sua saúde oral.

As gengivas e o osso que suportam os seus dentes desempenham um papel fundamental na manutenção de uma boca saudável. Quando negligenciados, problemas como a doença periodontal (periodontite) podem desenvolver-se , levando a uma deterioração dos tecidos e, eventualmente, à perda de dentes. Mas não se preocupe, há soluções disponíveis.

Ao tratar os seus dentes, também é importante prestar atenção à saúde das suas gengivas e ao osso subjacente. Os médicos dentistas podem recomendar tratamentos como raspagem e alisamento radicular ou tratamentos periodontais não invasivos para remover o biofilme, placa bacteriana e tártaro. Em casos mais avançados, pode ser necessária cirurgia periodontal.

Portanto, se está perante problemas relacionados com as gengivas e osso de suporte, não demore em buscar ajuda profissional. Com os tratamentos adequados pode reverter danos, melhorar a sua saúde oral e desfrutar novamente de um sorriso confiante.

Compreender a doença das gengivas e o seu impacto nos dentes e no osso de suporte

 

A doença das gengivas, também conhecida como doença periodontal, é uma infeção que afeta os tecidos que rodeiam e suportam os dentes. Estes tecidos incluem a gengiva, o cemento (camada externa da raíz do dente), ligamento periodontal e o osso alveolar. A doença das gengivas é causada pela acumulação de bactérias na superfície dos dentes, formando uma película pegajosa chamada biofilme ou placa bacteriana. Se não for removida regularmente, a placa bacteriana endurece e forma o tártaro, que só pode ser eliminado por um profissional de saúde oral.

Quando a placa bacteriana e o tártaro se acumulam, as bactérias produzem toxinas que irritam e inflamam as gengivas, causando a gengivite. A gengivite é a fase inicial da doença das gengivas e caracteriza-se por gengivas vermelhas, inchadas e que sangram facilmente. Se não for tratada, a gengivite pode evoluir para periodontite, que é a fase mais avançada da doença das gengivas. A periodontite ocorre quando as bactérias invadem os tecidos mais profundos, causando a destruição do ligamento periodontal e do osso alveolar. Isto leva à formação de bolsas periodontais, que são espaços entre os dentes e as gengivas onde as bactérias se acumulam e proliferam, escapando à higiene diária. A periodontite pode causar mobilidade e perda de dentes, bem como problemas de saúde sistémica, como doenças cardiovasculares, diabetes e partos prematuros, entre outros.

A doença das gengivas é uma condição séria que pode afetar a sua qualidade de vida e a sua autoestima. Por isso, é importante compreender os seus fatores de risco, os seus sinais e sintomas, as suas causas e as suas formas de prevenção e tratamento.

Sinais e sintomas da doença das gengivas (doença periodontal)

A doença das gengivas pode ser silenciosa e não causar dor ou desconforto, pelo que muitas pessoas não se apercebem que a têm. No entanto, existem alguns sinais e sintomas que podem indicar a presença de doença das gengivas, tais como:

  • Gengivas vermelhas, inchadas ou sensíveis
  • Gengivas que sangram frequentemente ao escovar os dentes, ao usar o fio dentário ou ao comer alimentos duros
  • Gengivas que se retraem ou se afastam dos dentes, dando a aparência de dentes mais longos
  • Dentes com mobilidade ou que se deslocam de posição
  • Espaços entre os dentes que não existiam antes
  • Pus entre os dentes e as gengivas
  • Mau hálito persistente ou sabor desagradável na boca
  • Alterações na forma como os dentes se encaixam ao morder ou na adaptação das próteses dentárias

Se notar algum destes sinais ou sintomas, deve consultar o seu médico dentista o mais rápido possível. Quanto mais cedo for diagnosticada e tratada a doença das gengivas (doença periodontal), maiores serão as hipóteses de preservar os seus dentes e a sua saúde oral.

Causas da Doença Periodontal

A principal causa da doença periodontal é a placa bacteriana, que se forma continuamente na superfície dos dentes. No entanto, existem outros fatores que podem contribuir para o desenvolvimento ou agravamento da doença periodontal, tais como:

  • Má higiene oral, que permite a acumulação de placa bacteriana e tártaro
  • Tabagismo, que prejudica a circulação sanguínea e a capacidade de cicatrização das gengivas
  • Consumo excessivo de álcool, que desidrata a boca e favorece o crescimento de bactérias
  • Alimentação inadequada, que pode provocar deficiências nutricionais e enfraquecer o sistema imunitário
  • Alterações hormonais, como as que ocorrem na gravidez, na menopausa ou no uso de contraceptivos orais, que podem tornar as gengivas mais sensíveis e propensas a inflamações
  • Doenças sistémicas, como a diabetes, a artrite, a osteoporose ou o VIH, que podem afetar a resposta inflamatória e imunitária do organismo
  • Medicamentos, como os antidepressivos, os anticonvulsivantes, os anti-hipertensores ou os imunossupressores, que podem causar efeitos secundários como a boca seca, o aumento do volume das gengivas ou a diminuição da salivação
  • Fatores genéticos, que podem determinar uma maior suscetibilidade à doença periodontal em algumas pessoas

Para prevenir ou controlar a doença periodontal, é importante identificar e eliminar ou reduzir os fatores de risco que possam estar presentes. Além disso, é fundamental manter uma boa higiene oral, que consiste em escovar os dentes pelo menos duas vezes por dia por pelo menos 2 minutos e usar o fio dentário ou escovilhão diariamente. Também é recomendável visitar o seu médico dentista regularmente para fazer uma limpeza profissional e uma avaliação da sua saúde oral.

Importância da deteção e tratamento precoces

A deteção e o tratamento precoces da doença periodontal são essenciais para evitar complicações que podem comprometer a sua saúde oral e geral. Ao tratar a doença periodontal na sua fase inicial – a gengivite – pode-se evitar a progressão para a fase mais avançada – a periodontite – que é irreversível e pode levar à perda de dentes e de osso.

Além disso, ao tratar a doença periodontal, pode-se reduzir o risco de desenvolver ou agravar outras doenças sistémicas que estão comprovadamente associadas à inflamação e à infeção crónica das gengivas. Estas doenças incluem:

  • Doenças cardiovasculares, como a aterosclerose, o enfarte do miocárdio ou o acidente vascular cerebral, que podem ser causadas pela entrada de bactérias da boca na corrente sanguínea e pela formação de placas de gordura nas artérias
  • Diabetes, que pode ser dificultada pelo controlo dos níveis de açúcar no sangue devido à presença de inflamação crónica e infeção nas gengivas
  • Doenças respiratórias, como a pneumonia, a bronquite ou a doença pulmonar obstrutiva crónica, que podem ser provocadas pela aspiração de bactérias da boca para os pulmões
  • Partos prematuros ou de baixo peso, que podem ser causados pela libertação de substâncias inflamatórias das gengivas para a placenta, afetando o desenvolvimento do feto
  • Disfunção erétil, que pode ser originada pela diminuição do fluxo sanguíneo para o pénis devido (entre outras causas possíveis) à inflamação e à infeção das gengivas
  • Doença de Alzheimer – o estado inflamatório crónico provocado pela doença periodontal favorece o desenvolvimento da doença degenerativa neurológica e também já foram detectadas no tecido cerebral de doentes de Alzheimer as mesmas bactérias que provocam as doenças das gengivas.

Portanto, ao tratar a doença periodontal, não só está a cuidar da sua saúde oral, mas também da sua saúde global. Não ignore os sinais e sintomas da doença periodontal e procure ajuda profissional o quanto antes.

Tratamento da doença periodontal – opções não-cirúrgicas

O tratamento da doença periodontal depende da gravidade e da extensão da mesma. O objetivo do tratamento é eliminar as bactérias, remover o biofilme, a placa bacteriana e o tártaro, reduzir a inflamação e a infeção, e restaurar a saúde e a função dos tecidos periodontais. Em muitos casos, o tratamento da doença periodontal pode ser realizado sem recurso à cirurgia, através de opções não cirúrgicas, tais como:

  • Raspagem e alisamento radicular: Este é o procedimento mais comum e consiste na remoção do biofilme, da placa bacteriana e do tártaro da superfície dos dentes e das raízes, utilizando instrumentos manuais ou ultrassónicos. O alisamento radicular visa eliminar as irregularidades das raízes, facilitando a adesão das gengivas e dificultando a acumulação de bactérias. Este procedimento pode ser realizado sob anestesia local e pode requerer várias sessões, dependendo do número e da localização dos dentes afetados.
  • Tratamentos periodontais não invasivos: Estes são tratamentos que visam eliminar ou reduzir as bactérias e a inflamação das gengivas, sem necessidade de intervenção cirúrgica. Alguns exemplos são a higienização através de equipamentos de ultra-sons e jacto de eritrol, aplicação de medicamentos anti-sépticos e/ou antibióticos.
  • Ajuste oclusal: Este é um tratamento que visa corrigir a forma como os dentes se articulam entre si, evitando traumas ou pressões excessivas sobre os tecidos periodontais.
  • Ferulização: Por vezes optamos por ferulizar – unir – dentes com muita mobilidade e que causam grande desconforto a outros dentes com bom suporte. Dessa forma o dente que estava com muita mobilidade passa a ficar estável e poderá permanecer em boca eliminando o desconforto.

Estas opções não cirúrgicas podem ser suficientes para controlar a doença periodontal em muitos casos, especialmente se forem acompanhadas de uma boa higiene oral e de visitas regulares ao médico dentista. No entanto, em casos mais avançados ou complexos, pode ser necessário recorrer a opções cirúrgicas.

Tratamento da doença periodontal – opções cirúrgicas

Quando as opções não cirúrgicas não são eficazes por si só, o tratamento da doença periodontal pode exigir a realização de cirurgias periodontais. Estas são intervenções que visam eliminar as bolsas periodontais, regenerar os tecidos perdidos, reconstruir o osso de suporte e melhorar a estética e a função dos dentes e das gengivas. Algumas das opções cirúrgicas mais comuns são:

  • Cirurgia de retalho para eliminação de bolsas: Esta é a cirurgia mais frequente e consiste na abertura das gengivas, através de incisões, para expor as raízes dos dentes e o osso subjacente. Desta forma, o médico dentista pode remover o biofilme, a placa bacteriana e o tártaro, bem como o tecido inflamado ou infectado, com maior precisão e eficiência. Em seguida, as gengivas são reposicionadas e suturadas, de forma a reduzir o tamanho das bolsas periodontais e a facilitar a cicatrização. Esta cirurgia pode ser realizada sob anestesia local e requer um período de recuperação de algumas semanas, durante as quais se devem seguir cuidados especiais de higiene e alimentação.
  • Cirurgia regenerativa: Esta é uma cirurgia que visa estimular a regeneração dos tecidos periodontais perdidos, como o ligamento periodontal, o osso alveolar e o cemento radicular. Para isso, o médico dentista pode utilizar bio-materiais, como membranas, enxertos ósseos ou proteínas do esmalte, que são colocados nas áreas afetadas, após a cirurgia de retalho. Estes materiais favorecem o crescimento e a diferenciação das células, permitindo a recuperação da estrutura e da função dos tecidos. Esta cirurgia pode ser realizada sob anestesia local e requer um período de recuperação de algumas semanas, durante as quais se devem seguir cuidados especiais de higiene e alimentação.
  • Cirurgia estética: Esta é uma cirurgia que visa melhorar a aparência dos dentes e das gengivas, que pode ter sido afetada pela doença periodontal ou por outros fatores, como a recessão gengival, o escurecimento das raízes ou a exposição das raízes. Para isso, o médico dentista pode utilizar técnicas como o enxerto gengival, que consiste na transferência de tecido da própria pessoa para as áreas onde as gengivas estão retraídas; ou a gengivoplastia, que consiste na remodelação das gengivas para corrigir defeitos ou irregularidades. Estas cirurgias podem ser realizadas sob anestesia local e requerem um período de recuperação de algumas semanas, durante as quais se devem seguir cuidados especiais de higiene e alimentação.

Estas opções cirúrgicas podem ser necessárias para tratar a doença periodontal em casos mais avançados ou complexos, especialmente se houver perda de tecidos ou de osso. No entanto, estas cirurgias não são isentas de riscos ou complicações, pelo que devem ser realizadas por profissionais qualificados e experientes, e apenas após uma avaliação cuidadosa da situação clínica de cada pessoa.

Limpezas dentárias profissionais e check-ups regulares

Além de manter uma boa higiene oral em casa, é imprescindível realizar higienizações dentárias profissionais e check-ups regulares no consultório do seu médico dentista. Estas visitas permitem remover o biofilme, a placa bacteriana e o tártaro que se acumulam nos locais de difícil acesso, como as zonas interdentárias, as superfícies radiculares ou as bolsas periodontais. Também permitem avaliar o estado dos seus dentes, das suas gengivas e do seu osso de suporte, detetando e tratando eventuais problemas antes que se tornem mais graves.

A frequência das limpezas dentárias profissionais e dos check-ups regulares depende de vários fatores, como o grau de risco, a severidade e a extensão da doença periodontal, a resposta ao tratamento, a higiene oral, os hábitos de vida e as condições de saúde de cada pessoa. Em geral, recomenda-se que as pessoas com gengivas saudáveis realizem uma limpeza dentária profissional e um check-up regular pelo menos semestralmente, enquanto que as pessoas com doença periodontal devem fazê-lo com maior frequência, podendo variar entre três a quatro meses.

Ao realizar limpezas dentárias profissionais e check-ups regulares, está a prevenir o aparecimento ou o agravamento da doença periodontal, a preservar os seus dentes e a sua saúde oral, e a evitar complicações que podem afetar a sua saúde geral.

Dicas de cuidados “caseiros” para prevenir a doença periodontal

Para prevenir a doença periodontal, não basta ir ao médico dentista regularmente. Também é necessário adotar alguns cuidados “caseiros” que podem fazer a diferença na sua saúde oral. Aqui estão algumas dicas que pode seguir:

  • Use produtos adequados para a sua higiene oral, como uma escova macia ou elétrica, um fio dentário ou escovilhão, um elixir e uma pasta dentífrica, que devem ser escolhidos de acordo com as suas necessidades e preferências. Se tiver dúvidas, consulte o seu médico dentista sobre os produtos mais indicados para si.
  • Escove os dentes pelo menos duas vezes por dia, de preferência após as refeições, durante pelo menos dois minutos. Escove todas as superfícies dos dentes, incluindo as faces internas, externas e de mastigação, com movimentos suaves e circulares, sem exercer pressão excessiva sobre as gengivas. Não se esqueça de escovar também a língua, que pode albergar bactérias e causar mau hálito.
  • Use o fio dentário ou escovilhão diariamente, para remover os restos de alimentos e a placa bacteriana que se acumulam entre os dentes e entre estes e as gengivas. Use um pedaço de fio dentário de cerca de 40 centímetros e enrole-o nos dedos médios, deixando um espaço de cerca de 5 centímetros entre eles. Deslize o fio dentário entre os dentes e as gengivas, formando uma letra C, e faça movimentos de vai-e-vem, sem provocar feridas ou sangramentos. Use uma parte limpa do fio dentário para cada espaço interdentário e não se esqueça de passar o fio dentário por trás dos últimos dentes. Nos espaços grandes deve usar escovilhão porque o fio dentário é ineficaz.
  • Enxague a boca com um elixir adequado, de preferência sem álcool, para completar a sua higiene oral. O elixir pode ter propriedades anti-inflamatórias, antimicrobianas ou regenerativas, dependendo das suas necessidades. Use cerca de 15 a 20 mililitros de elixir e bocheche durante cerca de 30 segundos, sem engolir. O elixir pode ajudar a eliminar as bactérias, a reduzir a inflamação, a prevenir o sangramento, a fortalecer o esmalte, a remineralizar os dentes e a refrescar o hálito. Não é conveniente bochechar com água depois do elixir.
  • Mantenha uma alimentação equilibrada e variada, que inclua alimentos ricos em vitaminas, minerais, antioxidantes e fibras, que podem beneficiar a sua saúde oral e geral. Evite o consumo excessivo de alimentos açucarados, ácidos ou pegajosos, que podem favorecer a formação de cáries, a erosão do esmalte e a inflamação das gengivas. Beba água com frequência, especialmente após as refeições, para hidratar a boca e eliminar os restos de alimentos. Pode mastigar pastilhas elásticas sem açúcar, que podem estimular a produção de saliva e neutralizar os ácidos da boca.
  • Elimine ou reduza os hábitos nocivos, como o tabagismo, o consumo excessivo de álcool ou o uso de piercings orais, que podem prejudicar a sua saúde oral e geral. O tabagismo e o álcool podem aumentar o risco de doença periodontal, de cancro oral e de outras doenças sistémicas. Os piercings orais podem causar infeções, alergias, lesões ou retrações nas gengivas, ou interferir com a fala ou a mastigação.

Estes são alguns cuidados “caseiros” que pode adotar para prevenir a doença periodontal e manter a sua saúde oral. No entanto, lembre-se que estes cuidados não substituem as visitas regulares ao seu médico dentista, que são essenciais para uma avaliação e um tratamento adequados da sua situação clínica.

Conclusão: Assumir o controlo da sua saúde oral

A doença periodontal é uma condição séria que pode afetar não só os seus dentes, mas também as suas gengivas e o seu osso de suporte. Além disso, pode ter repercussões na sua saúde geral, aumentando o risco de desenvolver ou agravar outras doenças sistémicas. Por isso, é importante que assuma o controlo da sua saúde oral, adotando medidas de prevenção, deteção e tratamento precoces da doença periodontal.

Neste artigo, discutimos sobre como tratar os problemas relacionados com as gengivas e o osso de suporte, apresentando as opções não cirúrgicas e cirúrgicas disponíveis, bem como as formas de manter as gengivas saudáveis e o osso de suporte. Também partilhamos algumas dicas de cuidados “caseiros” que pode seguir para prevenir a doença periodontal e melhorar a sua saúde oral.

Esperamos que este artigo tenha sido útil e informativo para si. Se tiver alguma dúvida, sugestão ou comentário, não hesite em contactar-nos. Estamos à sua disposição para o ajudar a recuperar e a manter a sua saúde oral e a desfrutar novamente de um sorriso confiante.

Até breve! 😊